Estudos

A Trindade

A palavra “trindade” é um termo usado para designar a chamada “doutrina cristã” de que Deus existe como uma unidade de três pessoas ou personalidades distintas: Pai, Filho, e Espírito Santo. Se for este o caso, então qual dos três nós adoramos e a quem nós oramos?

Você vai ouvir a resposta: “Ore ao Pai em Nome do Filho.” Só que a maioria das denominações ora “em nome do Pai, do Filho, E do Espírito Santo”?

Onde está a verdade em tudo isso?

Um pouco de história:

A “Santíssima Trindade” foi introduzida no cristianismo por Constantino, um imperador romano, no ano 325 d.C. Constantino aparentava ser cristão porque parou a matança em massa de cristãos, pintou uma cruz nos escudos de seu exército, e erigiu uma cruz no topo da igreja de Santa Sofia. Na realidade, ele não era cristão, mas um político magistral.

Pouco antes de uma batalha contra o rival romano, Maxêncio, Constantino teve um sonho no qual foi instruído a pintar uma cruz nos escudos dos seus soldados. Ele estava contra uma vantagem esmagadora, sendo superado em número de dois contra um, mas seguiu as instruções e ganhou a batalha. Ele viu que havia algo especial no cristianismo, e reconheceu as orações dos cristãos como um poderoso aliado ao imperador.

Constantino, um pagão praticante, sediou o primeiro concílio ecumênico em Niceia, Roma, em 325 d.C., onde reuniu seitas cristãs e idolatria pagã. O encontro, apelidado de “Concílio de Niceia,” resolveu as diferenças entre grupos concorrentes do cristianismo, uniu a Igreja e o Estado, e deu poder a uma igreja universal. Havia basicamente duas facções cristãs rivais que Constantino estava reunindo. Uma facção considerava Jesus divino. A outra considerava Jesus um ser criado, e, portanto, menor que Deus. Depois de discussões acaloradas e muitas disputas políticas, o resultado foi o acordo de que o Filho era o verdadeiro Deus, coeterno com o Pai, e gerado a partir da mesma substância que o Pai. Isso fez Jesus “coigual” com Deus. Foi estabelecida a plataforma para a “Santíssima Trindade” ser aceita pela maioria das seitas do cristianismo.

Aqui está o primeiro “Credo de Niceia,” elaborado e implementado pelo Concílio de Niceia.

Nós cremos em um Deus, o Pai Todo-Poderoso, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis.

E em um Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, nascido do Pai [o unigênito; ou seja, da essência do Pai, Deus de Deus,] Luz de Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não criado, sendo de uma só substância com o Pai;

Pelo qual todas as coisas foram feitas [tanto no céu quanto na terra];

O qual, por nós homens e por nossa salvação, desceu e se encarnou e se fez homem;

Sofreu, e no terceiro dia ressuscitou, ascendendo aos céus;

De onde virá para julgar os vivos e os mortos.

E no Espírito Santo.

[Mas aqueles que dizem: “Houve um tempo em que ele não era;” e “Ele não era antes de ter sido feito;” e “Ele foi feito a partir do nada,” ou “Ele é de outra substância” ou “essência,” ou “O Filho de Deus foi criado,” ou “sujeito a mudança,” ou “sujeito a alteração,” são condenados pela santa Igreja católica apostólica.]

Com o novo poder dado, os credos foram impostos com a pena de banimento, tortura e morte. Logo o mundo mergulhou na Idade das Trevas, onde mais de 68 milhões de pessoas foram mortas nos títulos do Pai, Filho e Espírito Santo (A Gloriosa Reforma, Schmucker, 1838).

Esta é uma breve explicação da Divindade apresentada no livro “Uma Exposição das Sete Eras da Igreja,” Capítulo 1.

Eles não acreditavam em três Deuses no princípio da igreja. Você não pode encontrar esse tipo de crença entre os apóstolos. Foi após a era apostólica que esta teoria foi introduzida e realmente tornou-se um debate e uma doutrina fundamental no Concílio de Nicéia. A doutrina da Divindade causou uma dissidência em duas direções. E dessa dissidência surgiram dois extremos. Um realmente entrou no politeísmo, crendo em três Deuses, e os outros entraram no unitarismo. É claro que demorou um pouco para acontecer, mas aconteceu, e nós o temos exatamente hoje. Mas a Revelação através de João pelo Espírito às igrejas foi: “Eu sou o Senhor Jesus Cristo, e Eu sou TUDO isso. Não há nenhum outro Deus”. E Ele pôs Seu selo sobre esta Revelação.

Considere isto: Quem foi o Pai de Jesus? Mat. 1:18 diz: “[Maria] achou-se ter concebido do Espírito Santo”. Mas Jesus, Ele Próprio, afirmou que Deus era Seu Pai. Deus, o Pai, e Deus o Espírito Santo, como frequentemente expressamos estes termos, tornam o Pai e o Espírito UM. Verdadeiramente eles são, ou então Jesus teve dois Pais. Mas note que Jesus disse que Ele e Seu Pai eram Um─não dois. Isso constitui UM Deus.

Visto que isto é histórica e escrituristicamente verdadeiro, as pessoas se perguntam de onde vieram os três. Tornou-se uma doutrina fundamental no Concílio de Nicéia em 325 d.C. Esta trindade (uma palavra absolutamente não escriturística) foi baseada nos muitos deuses de Roma. Os romanos tinham muitos deuses aos quais oravam. Eles também oravam a ancestrais como mediadores. Foi apenas um passo dar novos nomes a antigos deuses, de modo que temos santos para tornar isto mais bíblico. Assim, em lugar de Júpiter, Veneza, Marte, etc., temos Paulo, Pedro, Fátima, Cristóvão, etc., etc. Eles não podiam fazer sua religião pagã funcionar com apenas um Deus, portanto O dividiram em três, e fizeram dos santos intercessores como tinham feito intercessores de seus ancestrais.

Desde então as pessoas têm falhado em dar-se conta de que há apenas um Deus com três ofícios ou manifestações. Elas sabem que há um Deus conforme a Escritura, mas tentam estabelecer a teoria de que Deus é como um cacho de uvas; três pessoas com a mesma Divindade igualmente compartilhada por todos. Mas diz claramente aqui em Apocalipse que Jesus é “O Que é”, “O Que Era”, e “O Que Há de Vir”. Ele é o Alfa e o Ômega, que quer dizer que Ele é o “A até Z” ou O TUDO ISTO. Ele é tudo─o Todo-Poderoso. Ele é a Rosa de Sarom, o Lírio do Vale, a Resplandecente Estrela da Manhã, o Renovo Justo, o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. Ele é Deus, Deus Todo-poderoso. UM DEUS.

I Tim. 3:16 diz: “E sem dúvida alguma grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne, foi justificado em Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, e recebido acima na Glória”. Isto é o que a Bíblia diz. Não diz nada acerca de uma primeira ou segunda ou terceira pessoa aqui. Diz que Deus foi manifestado em carne. Um Deus. Esse ÚNICO DEUS foi manifestado em carne. Isso deveria pôr fim à questão. Deus veio numa forma humana. Isso não fez Dele OUTRO DEUS. ELE ERA DEUS, O MESMO DEUS. Foi uma revelação então, e é uma revelação agora. Um Deus.

Apesar de “A Santíssima Trindade” ter subsistido ao longo das eras pela mão implacável da Igreja Católica, ela nunca é mencionada na Bíblia e tampouco foi este conceito ensinado em qualquer lugar das Escrituras. Na verdade, separar Deus em três pessoas diferentes o teria levado a ser apedrejado no Antigo Testamento por transgredir os dois primeiros Mandamentos.

Observe que a Igreja Católica renumerou os Dez Mandamentos, na essência removendo o Segundo Mandamento para se alinhar com a doutrina da Trindade e adoração de santos (mas esse é outro estudo).

Referências da Escritura

Êxodo 20:3

Não terás outros deuses diante de mim.


Êxodo 20:4

Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra;


Êxodo 20:5

Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem;


Deuteronômio 4:35

A ti te foi mostrado para que soubesses que o Senhor é Deus; nenhum outro há, senão ele.


Deuteronômio 6:4

Ouve, ó Israel: O SENHOR nosso Deus é o único SENHOR:


Deuteronômio 10:14

Eis que os céus e os céus dos céus são do SENHOR, teu Deus, a terra e tudo o que nela há.

[Hebreus 1:2 diz: A nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo;]


II Samuel 7:22

Portanto, grandioso és, ó Senhor JEOVÁ, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus, senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos.


I Reis 8:60

Para que todos os povos da terra saibam que o SENHOR é Deus e que não há outro.


Isaías 7:14

Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.

[“Emanuel” significa “Deus conosco”.]


Isaías 9:6

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu: e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.


Isaías 37:16

Ó SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, que habitas entre os querubins; tu és o Deus, tu somente, de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra.

[Hebreus 1:2 diz: A nós falou-nos, nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo;]


Isaías 43:10-11

10 Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibas, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.

11 Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador.

[Lucas 2:11 diz: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E João 4:42 diz: E sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo.]


Oséias 13:4

Todavia, eu sou o SENHOR, teu Deus, desde a terra do Egito; portanto, não reconhecerás outro deus além de mim, porque não há Salvador, senão eu.


Zacarias 14:9

E o SENHOR será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o SENHOR, e um será o seu nome.


Mateus 28:19

Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

[Qual é o Nome do Pai? O Nome do Filho? O Nome do Espírito Santo?]


João 1:1 e 1:14

1 No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus...

14...E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.


João 5:43

Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis.

[Se Ele veio em Nome de Seu pai, então qual é o Seu Nome?]


João 10:30

Eu e o Pai somos um.


João 12:45

E quem me vê a mim vê aquele que me enviou.


João 14:8-9

8 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.

9 Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?


João 20:28

Tomé respondeu e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu.

[Tomé estava falando com Jesus]


Atos 20:28

Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.

[Fomos salvos pelo sangue do Espírito Santo ou pelo sangue de Jesus?]


Efésios 4:5

Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;


Colossenses 1:12-20

12 Dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz.

13 Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor,

14 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;

15 O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;

16 porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades tudo foi criado por ele e para ele:

17 E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.

18 E ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.

19 Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse;

20 E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus.


Colossenses 2:8-10

8 Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo;

9 Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.

10 E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade;


I Timóteo 3:16

E sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne, foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo e recebido acima, na glória.


Hebreus 1:3

O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas;


I João 5:7

Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um.


Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.


Amarás, pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. (Deuteronômio 6:4-5).

Para todo hebreu ortodoxo, o Senhor é UM, porque esse é o testemunho da Palavra em todo Antigo Testamento. “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor”; portanto, ninguém poderá fazer com que um verdadeiro israelita creia que Deus está dividido em duas ou três personalidades. Assim também deveria ser com cada cristão que confessa crer na Palavra do Senhor; porque Deus não muda. “Porque eu, o Senhor, não mudo”. (Malaquias 3:6).

Porém lamentavelmente, o mundo cristão tem dividido em três partes ao Deus único, tem feito das manifestações de Deus, três personalidades distintas, e argumentam que estas três pessoas formam um só Deus. Isto não tem uma explicação sensata e fica fora de uma inteligência concebível, porque se são três pessoas diferentes, ainda que sendo de uma idêntica substância, são três deuses; de outra maneira a linguagem teria perdido o seu significado; porém a Escritura prova totalmente o contrário deste ensinamento que por vários séculos se tem infiltrado no cristianismo; o qual, como muitos outros, o mundo o tem como verdadeiro. Agora, uma doutrina não é verdadeira porque tenha muito tempo nem porque a maioria a professe, senão porque seja parte da Palavra de Deus; por essa razão temos que ir a Palavra para encontrar a verdade.

“E o nascimento de Jesus foi assim: que sendo Maria sua mãe desposada com José, antes que se juntassem, se achou ter concebido do Espírito Santo.” (Mateus 1:18)

Aqui diz claramente que Maria se achou ter concebido do Espírito Santo, de modo que o Espírito Santo foi quem gerou a Jesus.

Agora Jesus chamou a Deus seu Pai, porém como o mundo religioso dá uma personalidade ao Pai e outra ao Espírito Santo, então a quem dos dois chamava Ele seu Pai? Acaso tinha Jesus dois pais: um a quem Ele chamava Pai e outro aquele que o gerou? Vê você o enredo que fazem os religiosos ao personificar as manifestações de Deus?

Porque para os que creem que Deus o Pai é uma pessoa e o Espírito Santo outra, Jesus teve dois pais? Aquele a quem Ele chamava Pai e ao Espírito Santo quem o gerou. Isto é inconcebível, pois assim fica entendido ao dizer que o Pai é uma pessoa distinta do Espírito Santo. Sem dúvida pelas Sagradas Escrituras vemos que o Pai, é o MESMO Espírito Santo, porque Deus é Espírito. Então há uma perfeita harmonia na Palavra: Jesus chamou Pai aquele que o gerou; de outro modo, teria tido dois pais.

Agora, Jesus disse: ”Eu e o Pai somos um” (João 10:30).

Também disse: “quem me vê a mim vê o Pai” (João 14-9). De modo que Jesus e o Pai são também UM e a MESMA PESSOA. Então PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO são a MESMA personalidade. “Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo, e estes três são UM.”. (I João 5:7).

A revelação da Escritura nos mostra UM DEUS, uma só personalidade com diferentes manifestações. O Todo Poderoso, o que é, que Era e que há de vir, Alfa e Omega, Principio e Fim, é UM e a MESMA Pessoa.

Jesus disse: “O Pai que está em mim Ele faz as obras”. (João 14:10)

Também diz a Escritura: “Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a Palavra de reconciliação”. (II Coríntios 5:19).

Agora, qual Deus estava em Cristo? Pois havendo UM SÓ Deus, temos que crer que ESSE era quem estava em Cristo. Não se pode dar outra personalidade a Deus pelo fato de haver adquirido humanidade. Isto na verdade é um mistério, porém não dá base para converter a Deus em várias pessoas.; “E sem dúvida alguma grande é o mistério da piedade: aquele que se manifestou em carne, foi justificado em Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, e recebido acima na glória. (I Timóteo 3:16)

Este é o grande mistério que envolve a Deus como uma pessoa com distintas manifestações, porque Deus tem diferentes ofícios, e através deles Ele toma a posição que se propõe para cumprir seus desígnios. Jesus é Deus manifestado em carne. Isto não o faz outro Deus, nem outra personalidade. É o único e Todo-Poderoso Deus habitando em um tabernáculo de carne. Como também o ensina João: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós.” (João 1:1 e 14)

Ademais está escrito: “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo”; (hebreus 2:14). É uma temeridade querer converter a Deus em várias pessoas, sendo que o mesmo Senhor Jesus Cristo disse: “Eu e o Pai somos um”. O Pai que está em mim, Ele faz as obras. “O que vê a mim, vê o Pai.” Tudo isto é o mesmo que disser: “DEUS ESTAVA EM CRISTO.” Em Deus não há mais que uma SÓ PERSONALIDADE com diferentes manifestações segundo seus propósitos. Deus como Espírito não pode morrer, porem tendo que efetuar a redenção do seu povo, teve que tomar humanidade para poder morrer por nós. Jesus Cristo homem, o Tabernáculo de Deus, morreu como morre nosso corpo, o tabernáculo no qual vivemos; porem Seu Espírito saiu e voltou a Deus. “Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai” (João 16:28). Entendemos que isto é um mistério porque a mesma Escritura o diz: “E sem duvida alguma grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne... “Sendo um mistério, só por revelação divina podemos entendê-lo.” Ninguém conhece o Pai; senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar (Mateus 11:27). Tratar de conhecer a Deus pelo arrazoamento humano ou pelas interpretações e tradições dos homens, fariam do único Deus, duas ou três pessoas; porém pela revelação divina, Deus é UM com diferentes manifestações.

Ao único Deus (Romanos 16:27), o verdadeiro Deus a Vida Eterna (I João 5:20), o grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo (Tito 2:13), o Deus “Todo-Poderoso (Apocalipse 1:8), o Deus Criador (Colossensses 1:16-17), para os apóstolos era UM E A MESMA PESSOA. O Novo testamento não ensina que Pai, Filho e Espírito Santo tenham personalidades separadas. Ali não encontramos nada quanto a primeira, segunda e terceira pessoa. Para os apóstolos não existem três deuses, senão UM; sem dúvida, hoje a maioria dos chamados cristãos creem em UM Deus trino ainda que isto seja anti-bíblico, porque a palavra trindade nem se quer acha na Bíblia: Pois é uma invenção humana introduzida no cristianismo, uma doutrina sem apoio escriturístico.

Os apóstolos não criam numa multiplicidade de pessoas em Deus, manifestando como Pai, como Filho e como Espírito Santo. Três ofícios da Divindade em sua relação com o homem, Deus se manifestou como filho, porém essa manifestação não o fez outro Deus diferente, senão o mesmo Deus da glória; o Eterno e Todo- Poderoso manifestado em Cristo. ”Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo” (II Coríntios 5:19).Ele se tornou humano para poder morrer e reconciliar-nos consigo mesmo,porém essa encarnação não o fez outra pessoa diferente; Ele seguiu sendo o único e um só Deus.Jesus na terra foi o Profeta, o Cordeiro e o Filho; sem duvida isto não o converteu em três pessoas; foram somente três manifestações ou ofícios da mesma pessoa.

Eis aqui um exemplo sensível da vida humana que pode ajudar-nos a entender esta verdade: todo homem casado e com filhos representa três ofícios diante da sociedade e da família. Este homem por causa de seus filhos é um pai, e nesta relação se apresentaria em qualquer ato humano ou social em caso de ter que atuar com respeito a seus filhos. Este pai ao mesmo tempo é filho em relação com seu progenitor; e se tivesse que comparecer diante de um tribunal com respeito a seu pai, teria que fazê-lo na condição de filho. De modo que este homem é tanto pai como filho; sem duvida isto não o faz duas pessoas, senão a MESMA pessoa exercendo dois ofícios diferentes. Este mesmo homem que é pai e ao mesmo tempo filho porquanto é casado, é também esposo; e ao relacionar-se com sua esposa, toma uma posição diferente a de filho e também a de pai. Encontramos este homem exercendo diante da sociedade três ofícios ou manifestações completamente diferentes: Pai, filho e esposo. Seria muito insensato quem afirmasse que por este fato se trate de três homens diferentes ou um homem dividido em três pessoas; porque ao ser avô haveria que acrescentar uma quarta personalidade, e isto é ridículo sob todo o ponto de vista. Este homem é UM com diferentes ofícios ou manifestações; Diante de seu filho é um pai, e ante seu pai é um filho, e ante sua esposa e um esposo, porém é UMA SÒ pessoa. “Tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.” (Rom.1:20).

Deus é UM, porém tem tomado diferentes ofícios em sua relação com o homem. Quando se manifestou como filho era ao mesmo tempo Pai e Espírito, por esta razão disse a Filipe: Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é que faz as obras”. ( João 14:9-10). “ Eu e o Pai somos UM” (João 10:30). Não duas nem três pessoas,senão UMA.

“ Porque um menino nos nasceu,um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso,Conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade, Príncipe da paz” (Isaias 9:6). Este menino que foi Jesus, o Filho que nos foi dado, segundo esta Escritura, é o mesmo tempo o Deus forte e Pai eterno. Isto é um verdadeiro mistério.” Grande é o mistério da piedade. Aquele que se manifestou em carne” (I Timóteo 3:16). È dizer, o Deus forte, Pai eterno tomou a forma de um menino que cresceu como os homens para operar a Redenção do povo.

“ E dará à luz um filho e chamaras o seu nome JESUS; porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz: Eis que a virgem conceberá e dará a luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, que traduzido é: deus conosco”. (Mateus 1:21-23). Essa manifestação foi simplesmente “Deus conosco”. Isso é tudo o que declara a Palavra, e não se deve dizer mais do que isto, porque seria aumentar a Palavra; e está escrito:” Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso”.( Provérbios 30:6). Não devemos argumentar coisas que Deus não diz em sua Palavra; ainda que se há algo que não entendamos, devemos repeti-lo tal com Ele o tem dito.

Este Deus forte, Pai eterno, Jeová do Antigo Testamento, nasceu e cresceu como um menino. Este é Jesus, cujo nome significa Jeová Salvador. É o mesmo Pai eterno que tomou humanidade e se manifestou em carne para redimir a seu povo: “ E visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela a morte aniquilasse o que tinha o império da morte”.(Hebreus 2:14). A encarnação de Deus Criador, o converteu no Deus Salvador; de modo que o Criador do Antigo Testamento é o mesmo Salvador do Novo Testamento. “E não há outro Deus senão Eu; Deus justo e Salvador não há fora de mim. Olhai para mim, e sereis salvos, vós todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”. (Isaias 45:21-22). Não há dois Salvadores, senão UM. “Pois na cidade de Davi, vos nasceu hoje UM Salvador, que é CRISTO, o Senhor”. (Lucas 2:11). Jeová Salvador no Antigo Testamento é o mesmo Jesus Salvador no novo. UM e a MESMA pessoa. Veja Isaias 43:10-11.

O Deus do Antigo Testamento prometeu estar presente e vir ELE MESMO para salvar ao seu povo: isto é exatamente o que Ele fez. Ele mesmo veio e consumou sua obra. Ali manifestado como Criador, aqui manifestado como o Salvador, e agora no meio de seu povo manifestado como o consolador: porém não são três pessoas, mas UMA e a MESMA pessoa. Este é o testemunho de toda a Escritura. Assim creram os profetas e apóstolos. Então de onde veio, está bem quando cremos que Deus é UM, então o mal está em crer no contrario, porque isso significaria contrariar a Escritura. Ainda que os demônios creem e sabem que Deus é UM: porém eles não pregam o que sabem,senão o que pervertem; de modo que esta doutrina da crença que acrescenta a Deus três pessoas distintas? Isto veio depois da idade apostólica, e foi introduzido astutamente no Concílio de Nicéia no ano 325 D.C. A chamada trindade, que nem sequer aparece na Bíblia, teve sua origem no culto pagão. Os romanos adoravam a muitos deuses e também oravam a seus antepassados como mediadores e intercessores.

Então a nova religião lhes deu a oportunidade de mudar os nomes de seus velhos deuses pelos nomes novos; e em vez de Júpiter, Vênus, Marte etc. Tiveram a Pedro, Paulo, Fátima, Cristóvão, etc. Eles não podiam fazer que sua religião pagã permanecesse com um só Deus, portanto o dividiram em três, dando-lhe personalidades separadas para as manifestações de Deus e logo fizeram dos santos seus intercessores. Desde então a verdade de UMA SÓ pessoa em Deus, a escureceram. Hoje os encontramos confessando que Deus é UM, porque assim o afirma a Escritura, mas ao mesmo tempo ensinando a mesma doutrina da trindade, teoria que converte a Deus em três pessoas. Esta doutrina é uma tradição pagã introduzida do Cristianismo.

As Sagradas Escrituras ensinam que deus é UM, porém a tradição assegura que é trino; de modo que existe um conflito entre as Escrituras e as crenças tradicionais do mundo chamado cristão. Sem dúvida que temos que tomar uma decisão entre estes dois ensinamentos, porque são diametralmente opostos. Este Assunto se dividir a Deus em Três pessoas distintas e não obstante crer que as três constituem um Deus, é uma coisa irracional. Se são três pessoas e cada uma delas é Deus, logicamente,são três deuses; porque uma pessoa não pode ser ao mesmo tempo três. Uma pessoa pode exercer vários ofícios ao mesmo tempo, porem jamais poderá converter-se em mais de uma pessoa. Os sustentam a teoria pagã de dividir a Deus em três pessoas distintas, de fato são politeístas. Essa crença veio do paganismo e se introduziu no cristianismo já pervertido, porque no cristianismo genuíno do Novo Testamento, não existiu tal ensinamento.

Agora os que sustentam esta doutrina irracional, argumentam que se trata de um mistério, porém a Bíblia não diz nado do mistério da trindade; este termo nem se quer aparece na Bíblia. As Sagradas Escrituras fala-nos do mistério da piedade, deus manifestado em carne, porém não diz nada fictícia doutrina da trindade.

“Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o creem e estremecem.” (São Tiago 2:19). Se fazemos trindade é uma perversão diabólica.

O Senhor Jesus Cristo falando com a samaritana, disse: “DEUS É ESPÌRITO”. Agora que o Espírito é Deus? Indiscutivelmente Ele é o Espírito Santo porque a Escritura o diz: “ Em Espírito” (Efésios 4:4), e não há dois espírito santo, É um só Deus um só Espírito, um só Senhor; Não são três, senão UM. “A Escritura diz:” Mas quando se converteram ao Senhor; então o véu se tirará. Ora o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade.” (II Coríntios 3:16-17).

As Sagradas Escrituras não se contradizem porque foram inspiradas pelo Espírito Santo. Elas ensinam claramente que nosso Deus é UM. Um Deus com diferentes manifestações: de modo que o filho é Deus com todos seus atributos. Por essa razão João disse: “E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” (João 5:20). Desta maneira fica demonstrado que deus veio manifestado como Filho para revelar-se a si mesmo como o Deus verdadeiro; por conseguinte, JESUS CRISTO é Deus mesmo manifestado em carne.” Jesus é o mesmo ontem e hoje,e eternamente”.(Hebreus 13:8). Amém.( Ver.O.G.)

A RESTAURACAO DE TODAS AS COISAS

Como todas as coisas haviam sido deixadas para trás, (Romanos 1:25) Deus prometeu restaura-los nos últimos dias. Disse o apóstolo São Pedro: Convinha que os céus o contenha até o tempo da restauração de tudo. (Atos 3:21). O próprio Jesus Cristo disse: Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas.(Mateus 17:11).Examinando as Escrituras, conforme disse Jesus, para cuidar ter nelas á vida eterna, pois são elas que testificam de mim. (S. João 5:39). O apóstolo S.Paulo louvou a atitude dos irmãos de Beréia, por serem mais nobres do que os de Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra examinando a cada dia nas escrituras, a verdade de todas as coisas ditas por Paulo.(Atos 17:11). São Pedro na primeira epistola de (Pedro 4:11) pediu que tenhamos cuidado em falar e que , se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus. Jesus também disse que o homem erra não conhecendo as escrituras, nem o poder de Deus. (Mateus 22:29). Então examinando a palavra de Deus, encontramos que estamos no tempo do fim, em que todas as verdades que foram deixadas para trás através das eras (verdades pregadas pelos apóstolos), deveriam ser restauradas.

O BATISMO

Jesus chamou seus discípulos após a sua ressurreição e ordenou que pregassem o evangelho a toda criatura, e quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. (Marcos 16:15-16) e disse aos seu discípulos que ensinassem a todas as nações e batizassem em nome do Pai,do Filho e do Espírito Santo.(S. Mateus 28:19). E Jesus abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. (Lucas 24:45).

Os apóstolos com o entendimento aberto compreenderam que não tinham que repetir os títulos Pai, Filho, e Espírito Santo, eles compreenderam o que Jesus disse e quando batizaram não repetiram a palavra Pai, mas usaram o nome do Pai que é em toda a bíblia Senhor, pois o próprio Deus disse em Isaias: Eu sou o Senhor este é o meu nome. (Isaias 42:8). Moisés disse que o Senhor é varão de guerra, Senhor é o seu nome. (Êxodo 15:3). Jeremias também relata o seu nome: Assim diz o Senhor que faz isto, o Senhor que forma isto para estabelecê-lo, o Senhor é o seu nome. (Jeremias 33:2). O profeta Amós disse que seu nome é Senhor. (Amós 5:8 e 9:6). Os Apóstolos tiveram revelação e compreenderam que a palavra pai não é nome, mas um título a alguém que tenha gerado um filho, por exemplo: Jesus chamava o diabo de pai da mentira. (S.João 8:44).Abraão é o Pai da fé, mas esse não é seu nome pai, então vendo pelas Escrituras que o nome do Pai a quem Jesus se refere é Senhor.(Isaias 42:8). Jesus mandou também dizer o nome do Filho no Batismo, Filho, porém também não é nome sendo assim resta-nos saber qual é o nome do Filho. Quando o anjo Gabriel disse a Maria não temas, porque achaste Graça diante de Deus e eis que em teu ventre conceberás e darás a luz um Filho, e o chamarás Jesus. (Lucas 1:30-31). Notem Maria iria conceber um filho, mas seu nome não seria filho, mas Jesus. Veja como é bonita a revelação. (Gálatas 1:12). Pois a promessa era que nasceria um filho e nele estivessem todos os atributos, porque um menino nos nasceu um filho se nos deu, o principado está sobre seus ombros, e o seu nome será Conselheiro Deus Forte Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. (Isaias 9:6). O apóstolo S. Pedro disse aos filhos de Israel que eles se dessem conta que, o mesmo Jesus que eles crucificaram Deus o fez Senhor e Cristo. (Atos 2:36).

Vejam, os apóstolos compreenderam as Escrituras e viram que o nome do Pai do Filho e do Espírito Santo é Senhor Jesus Cristo, por isso Paulo disse em (Efésios 4:4) um só corpo, Jesus, um só Espírito, Deus. E há um só Senhor; uma só fé e um só batismo. (Efésios 4:5). Em Jesus habita corporalmente toda a plenitude de Divindade. (Colossenses 2:9) Paulo disse que ninguém pode chamar Jesus de Senhor a menos que tenha revelação do Espírito Santo.(I Coríntios 12:3) O próprio Deus disse em (Isaias 45:6-18): Eu sou o Senhor e não há outro, então os apóstolos este nome que é sobre todos os nomes e não há outro nem no céu e nem na terra.(Atos 4:12). E cumprindo a ordem de Jesus começaram a efetuar os atos batismais. E quando uma multidão perguntou a Pedro e aos demais apóstolos.

Que faremos varões irmãos? (Atos 2:37). Pedro respondeu: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo. (Atos 2:38). Felipe estando em Samaria batizou os que creram em Jesus no Nome do Senhor Jesus. (Atos 8:16). O apóstolo S. Pedro obedecendo ao que Jesus ordenou que em seu nome se pregasse o arrependimento e perdão dos pecados, em todas as nações, e ele fez conforme Jesus ensinou. (Atos 2:38). Pedro entre os gentios em Cesaréia mandou que os que cressem fossem batizados em Nome do Senhor. (Atos 10:47-48). O senhor é Jesus Cristo. (Atos 2:36) e (I Coríntios 12:3). Em (Atos 19:3-5) pessoas que tinham sido batizadas, mas não tinham recebido o nome do Senhor Jesus Cristo precisaram ser novamente batizada. Em (Atos 22:16) Paulo diz que ele próprio foi batizado em nome do Senhor. E todos os que são batizados em Cristo se reveste de Cristo. (Gálatas 3:27).

O nome do Pai: Senhor

O nome do Filho: Jesus

O nome do Espírito Santo: Cristo

A Santa Ceia do Senhor

Jesus celebrando a Páscoa praticou a primeira ceia do Novo Testamento. Nunca no período do Velho Testamento uma Páscoa era celebrada com pão fermentado, antes todos os israelitas eram admoestados para que tirassem o fermento de suas casas,porque sete dias comeriam pães asmos e quem do primeiro ao sétimo dia comesse com fermento era cortado de Israel.(Êxodo 12:8-1 e 17). O pão asmo era amassado com azeite e flor de farinha, mas não podia ter fermento. (Êxodo 29:2). No Novo Testamento Cristo é a nossa Páscoa. (I Coríntios 5:7). E Jesus celebrando a ceia ele o fez com pão asmo, (Mateus 26:17) sendo pois os discípulos que preparavam .(Lucas 22:7-8). Sendo o pão símbolo da carne de Jesus, e o fermento símbolo do pecado, o pão não pode ter fermento, pois Jesus nunca pecou. Para trazer o pão na mesa do Senhor não pode ter fermento, pois do contrário Deus o chama de imundo. (Malaquias 1:7).

Em (I Coríntios 5:6) Paulo admoestando os Coríntios diz: Não é boa a vossa jaquitância não sabeis que um pouco de fermento leveda toda a massa?E diz mais em (I Coríntios 5:8) Pelo que façamos a festa não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com o asmo da sinceridade e da verdade. O vinho puro é o tipo do sangue de Jesus, agora o vinho não pode ser doce nem tampouco suco de uva porque é doce, e Jesus não teve sangue doce, pois quem tem sangue doce tem diabete. O vinho puro é forte como o sangue de Jesus, é forte e limpa todos os nossos pecados. Jesus disse em (S. João 15:1) Eu sou a Videira Verdadeira. A videira dá uva, e da uva vem o vinho que devemos preparar sem mistura, porque quem come da carne do Filho do Homem (Pão Asmo), e bebe do meu sangue (Vinho Puro) tem Vida Eterna e ressuscitará no último dia. (S.João 6:54).

Ato de Lavar os Pés

Ao terminar a ceia Jesus tirou seu vestido e tomando uma toalha cingui-se depois deitou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e enxugou com a toalha que estava cingido. Aproximou-se de Simão Pedro que lhe disse: Senhor tu lava-me os pés a mim? Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço não sabe tu agora, mas tu saberás depois. Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu não te lavar os pés não têm parte comigo. (S. João 13:4-8 Nós examinando as escrituras constatamos que não somos melhor do que Pedro e se Jesus não lavar os nossos pés não temos parte com Ele,porque Ele disse que Pedro não teria. E como Ele lava nossos pés? Paulo disse: Vós não estais na carne, mas no Espírito se é que o Espírito Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo esse tal não é Dele.(Romanos 8:9). Agora Jesus terminou de lavar os pés dos discípulos voltou e acentou outra vez à mesa e disse: Vós me chamais Mestre e Senhor e dizeis bem porque eu sou. Se eu Senhor e Mestre vos lavei os pés vós deveis lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo do jeito que eu fiz façais vós também. (S. João 13:13-15). Agora Ele é Mestre e Mestre é instrutor (Professor), e Ele nos deu o exemplo para que como Ele fez façamos também. Entre os irmãos nós somos todos iguais não há ninguém maior que o outro. Ele sendo Senhor lavou os pés dos apóstolos e mandou que lavássemos os pés uns aos outros, e disse: Se sabeis estas coisas bem-aventurados sois se as fizerdes. (S. João 13:17). Se fizermos somos bem-aventurados. Se não fizermos somos mal aventurados, e os mal aventurados não entrarão no céu. O apóstolo São Paulo escrevendo a Timóteo disse que só fosse escrita viúva a que tivesse mais de sessenta anos, que tivesse sido mulher de um só marido e tivesse lavado os pés aos santos. (I Timóteo 5:10).

O Ministério da Palavra

E subindo ao alto levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens. (Efésios 4:8). Ele mesmo deu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e doutores. (Efésios 4:11). Querendo o aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo. (Efésios 4:12). Examinando a Bíblia Sagrada nós encontramos que Jesus escolheu setenta discípulos e entre eles não havia mulher para o ministério da Palavra. E subiu ao monte, chamou para si os que Ele quis, e vieram a Ele e nomeou doze para que estivessem com ele e os mandou a pregar. (Marcos 3:13-14).

Notem entre os doze também não havia mulher. Em (Efésios 4:11) os dons para aperfeiçoamento da igreja foi dada aos homens;eis o que está escrito:Deu dons para apóstolos,e não apóstolas,outros pra pastores, e não pastoras e quando foram instituídos dos primeiros diáconos também não havia mulher no meio deles.(Atos 6:1-7).Paulo falando em (I Coríntios 14:34) diz: Portanto as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque não lhe é permitido falar.E diz mais;Se quiserem aprender alguma coisa interroguem em casa aos seus próprios maridos, pois é indecente que as mulheres falem nas igrejas.(I Coríntios 14:35) e no versículo 37 Paulo diz que para quem é espiritual isto é mandamento do Senhor. E o mandamento do Senhor é para ser cumprido, que primeiro foi dado aos profetas e agora mediante os apóstolos. (II Pedro 3:2). Paulo disse em (I Timóteo 2:11-12) A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição .Não permito ,porém que a mulher ensine ,nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio .

E Paulo escreveu segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando disso como em todas as suas epístolas entre as quais a pontos difíceis de entender que os indoutos e inconstantes torcem para a sua própria perdição.(II Pedro 3:15-16).O apóstolo S. Pedro em (I Pedro 3:1) admoesta os santos dizendo: Vós mulheres estais sujeitas as vossos maridos.Para que se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos, sem palavras. Pedro proibiu que as mulheres pregassem aos seus própios maridos, mas que tivessem uma vida de exemplo, sem uso de joias de ouro na compostura dos vestidos. (I Pedro 3:3-4) Se as irmãs primitivas foram lhes ensinadas que não pregassem nem a seus própios maridos, como poderemos hoje andar no caminho dos apóstolos se permitimos que nossas mulheres preguem aos maridos de outras? E mesmo que desça um anjo do céu e pregue outro evangelho além daquele que Paulo pregou seja anátema. (Gálatas 1:8). Nos quais o deus deste Século cegou o entendimento dos incrédulos, para que não resplandeça neles a luz do Evangelho de Cristo que é a imagem de Deus. (II Coríntios 4:4).

Que o Espírito Santo não deixe que Satanás ( o deus deste Século ) nos cegue o entendimento. Que Deus possa iluminar estas verdades pregadas pelos apóstolos, e restaurada nestes últimos dias pelo ministério de (Mateus 17:11) em seu coração. Amém!